Africa Code Week supera expectativas ao atingir 426 mil jovens

A iniciativa da SAP para desenvolvimento de competências digitais avança no objetivo de formação de cinco milhões de jovens africanos até 2025

O objetivo ambicioso da SAP de preparar cinco milhões de jovens africanos com competências básicas de programação até 2025 registou um grande progresso na apresentação deste ano dos resultados da iniciativa Africa Code Week. Mais de 426 mil jovens de 30 países do continente africano completaram a formação, ultrapassando de forma significativa o objetivo de formação de 150 mil jovens em 2016.

A Africa Code Week é uma iniciativa que visa despertar o interesse das crianças, adolescentes e jovens adultos africanos pela programação de software. Liderada pela SAP em 2015, como parte dos seus investimentos na área social, para impulsionar o crescimento sustentável no continente africano, Africa Code Week (ACW) é a história de centenas de escolas, professores, ministros, centros comunitários, clubes de programação, ONGs, empresas e organizações sem fins lucrativos, que se unem para dar origem à maior iniciativa de literacia digital alguma vez realizada em África.

“Nos países africanos lusófonos treinámos mais de 5.800 estudantes, dos quais 64% eram do género feminino,” declarou Claire Gillissen-Duval, líder global do Projeto Africa Code Week. “Contribuindo com mais de metade do crescimento da população mundial até 2050, o continente africano desempenhará um papel importante no futuro da economia mundial. Ao adquirirem os conhecimentos básicos de programação num ambiente aberto, os jovens africanos preparam-se para aproveitar as imensas oportunidades apresentadas pela atual Revolução Digital e habilitam-se no sentido de se tornarem os agentes ativos que irão moldar a economia mundial.”

O objetivo de longo prazo da Africa Code Week é capacitar mais de 200 mil professores e impactar positivamente a vida de cinco milhões de crianças e jovens na próxima década. Os principais parceiros desta iniciativa são o Centro de Ciência da Cidade do Cabo e o Centro de Educação de Galway, enquanto os parceiros estratégicos são a UNESCO, Google, openSAP, Alianças Universitárias da SAP, AMPION, Fundação Rei Baudouin, ALink Telecom, Camara Education ATOS, entre muitos outros.

Outros destaques para a África lusófona em 2016 são:

  • Angola e Moçambique receberam oficialmente e pela primeira vez o programa Africa Code Week;
  • Todo o material do programa foi traduzido para português e a SAP apoiou-se num grupo de formadores mestre de Portugal que participaram nas sessões “Train the Trainer”;
  • O Ministro da Educação, o Embaixador dos EUA e o Ministro das Telecomunicações e Tecnologias de Informação de Angola apoiaram o programa participando na cerimónia de abertura. As parcerias incluíram a Escola Dom Bosco, um programa inovador que trabalha com crianças e jovens desfavorecidos, que vivem nas áreas urbanas de Luanda;
  • A Africa Code Week estabeleceu uma parceria com a MuvaTech em Moçambique, com o objetivo de incluir mais mulheres na formação de professores ACW e, consequentemente, aumentar o acesso das mulheres e raparigas à tecnologia e criar, junto delas, maior interesse e conhecimento sobre as oportunidades na indústria das TIC.

Brett Parker, diretor geral da SAP África, afirma: "A Africa Code Week 2016 superou todas as expectativas e obteve um impacto significativo pelo desenvolvimento de competências da juventude africana. Com a participação total do género feminino a atingir 48,6%, a iniciativa deste ano fez também incursões na igualdade de género pela educação promovida ao nível do sector das TIC no continente africano. Vamos agora aproveitar o sucesso dos nossos primeiros dois anos e, com a ajuda dos nossos parceiros, começar a preparar a Africa Code Week 2017."

Para mais informação, visite o site SAP News Center. Siga a SAP no Twitter em @sapnews.

Closing this window will discard any information entered and bring you back to the main page